O papel desempenhado pela motivação no aprendizado da língua inglesa dos alunos - MsC Aristides Cambuta

Autor: Aristides Jaime Yandelela Cambuta, MsC

 (Dissertação de Mestrado)

RESUMO 

A presente investigação tem como objetivo analisar o papel desempenhado pela motivação no aprendizado da língua inglesa dos alunos. O contacto com o tema perpassou as contribuições de teóricos que pesquisam sobre o conceito de motivação e seus tipos, encontrados principalmente nos estudos de Bzuneck (2009), Bock (1999); (2001), Nérici (1993), Huertas (2001), Haidt (2006), Balancho e Coelho (1996), Núñez (2009), Braghirolli at. al (2012), Malheiros (2013). Em face disso, buscamos compreender a motivação no processo de ensino-aprendizagem em uma relação dialógica professor-aluno com ênfase no contexto escolar com aporte em Krashen (1981), Garcia (1976), Libâneo (2013), Freire (1996), Haidt, (2006); subsidiado pela abordagem interacionista por meio da qual pode-se compreender os motivos eficazes da atividade e a motivação como elemento essencial para criar disposição positiva nos alunos, considerando sempre a interação como ponto principal no aprendizado da língua, olhando o aluno como um ser sócio-histórico influenciado por aspectos imediatos que fazem parte da sua realidade. Portanto, mostra que é importante perceber que os alunos se encontram dentro da escola ou de seu entorno social e que essa situação influencia ou não o interesse do aluno no aprendizado. Quando esses aspectos são considerados, a construção do conhecimento pode se dar a partir de um processo de ensino-aprendizagem significativo. Essa perspectiva realça o papel primordial da fala no intercâmbio social. E, durante esse processo, a palavra se destaca pelo fato de que se dirige para alguém, olhando a língua como um fenômeno social da interação verbal entre interlocutores de forma dialógica. O exposto, portanto, tem seus pressupostos em Núñez (2009), Leontiev (2012), Vigotski (2001); (2007); (2008), Geraldi (2010) e Bakhtin (2009); (2001). Adentramos na relação motivação e ensino da língua inglesa, trazendo os estudos de Ushioda (2011), Dornyei (2001), Gardner (1985), e Kormos (2009). Para o desenvolvimento dos objetivos propostos, foi realizado um estudo de análise documental, com abordagem qualitativa, em que foram lidos 60 relatórios de estágio de alunos de graduação da Unesc do curso de letras/inglês, dos anos 2011, 2012 e 2013. Os resultados mostram que um dos fatores ligado à (des)motivação dos alunos na aula de inglês pode estar associado à maneira como o professor (não)planeja e executa a atividade de ensino. Foi possível observar que, quando o professor realiza atividades que envolvem a participação efetiva dos alunos e relaciona com a realidade deles, eles ganham um maior interesse pelo aprendizado da língua, ou seja, cria-se uma necessidade de estudo nos alunos e isso influencia a motivação dos mesmos.

 Palavras-chave: Processo Ensino-Aprendizagem; Língua Inglesa; Motivação; Interação; Prática Pedagógica.